"Fique de Olho, pode ser câncer infantojuvenil"

site
site
11836762_10207097274968414_5628415679876984337_nz3
equipe

"Fique de Olho, pode ser câncer infantojuvenil"

  • O QUE É?

Sem exames preventivos para o câncer infantojuvenil, o Projeto “Fique de Olho, pode ser câncer infantojuvenil”, tem por objetivo capacitar profissionais da área de saúde, Atenção Básica e Médicos Pediatras, quanto aos principais sinais e sintomas da doença e suas especificidades.  Faz parte do Programa Diagnóstico Precoce, promovido pelo Instituto Ronald McDonald (IRM), representando a região Centro Oeste.

  • POR QUÊ?

Segunda causa de morte das crianças no Brasil, onde Medicina comprova que se o diagnóstico for precoce e o tratamento, o adequado, as chances de cura e redução de sequelas, crescem de maneira extraordinária e mais VIDAS são SALVAS, e este é o maior objetivo a ser alcançado para crianças e adolescentes com câncer.  
 

  •  RESULTADOS DE 2008 A 2015

Em 2011 iniciou-se a pesquisa de avaliação de impacto do Programa Diagnóstico Precoce que mostrou um aumento de 23% na taxa de detecção dos casos suspeitos nas regiões em que o Programa foi implementado. Além disso, a execução do programa permitiu que o tempo de trajetória em semanas do paciente desde o diagnóstico até o tratamento fosse reduzida em 61% (de 13 para 5 semanas).
   

 

  • SINAIS E SINTOMAS DO CÂNCER INFANTOJUVENIL

 

  •  QUANDO ESTE PROGRAMA TEVE INÍCIO?

O Diagnóstico precoce é um desejo antigo de instituições de apoio e ou tratamento de crianças e adolescentes com câncer, e em 2007, o Instituto Ronald Mc Donald dá inicio à efetivação da coordenação nacional deste Programa, concitando através de Edital, uma concorrência pública para o Projeto Piloto a ter início em 2008, com uma instituição representando cada uma das cinco regiões geográficas do Brasil.

  • PRIMEIROS PASSOS DO PROGRAMA DIAGNÓSTICO PRECOCE NO BRASIL

2005 - Em reunião com o INCA Instituto Nacional do Câncer este Programa, proposto pelo Instituto, foi concebido tendo como veiculação o Programa Saude da Família, hoje denominado Estratégia Saude da Família.

2007 - Em 26 de junho, deu-se em Brasília, a abertura do Edital de Seleção Pública de projetos para a fase Piloto do Programa.
Estiveram presentes 58 instituições de atendimento a crianças e adolescentes com câncer, além do INCA e da SOBOPE Sociedade Brasileira de Oncologia Pediatria.


2008 - Teve início a efetivação do Projeto Fique de Olho, pode ser câncer infanto-juvenil, em Campo Grande MS, capacitando a 1ª equipe de profissionais, destinado a três turmas, classificadas por categoria: Médicos, Não Médicos e Agentes comunitários de Saúde, com carga horária de 40 horas, cada.
No dia 29 de abril, aconteceu o evento oficial de lançamento do Programa de Diagnóstico Precoce em nível nacional pelo Instituto Ronald Mc Donald, em São Paulo. Therezinha Selem representou a AACC/MS  e a Região Centro-Oeste, reafirmando a fé neste programa, entendendo-o como “divisor de águas” para a causa do câncer Infantojuvenil, no Brasil.

PROJETO PILOTO
HISTÓRICO
 
1. Recebido o Edital, de imediato nos pusemos em ação na AACC/MS, com o apoio da equipe do CETOHI e da Secretaria Municipal de Saúde;
2. Mereceu total apoio de  Dr. Luiz Henrique Mandetta, Secretário Municipal de  Saude, liberando os médico para participarem do curso,  e  das médicas Yvone Weber Pietro, Coordenadora de Saúde da Família e Corina Galhardo Martinho, Coordenadora de Programas de Saúde;
3. Contou com o apoio logístico da UFMS, nas pessoas de seu reitor, Dr. Manuel Catarino Paes Peró, e de Dr. Robert Schiaveto de Souza, Chefe de Gabinete da Reitoria;
4. Contou com o apoio da Secretaria de Estado de Saúde de MS, por meio da Dra Beatriz Dobashi;
5. Constituiu-se uma comissão na AACC/MS, para análise do Edital e elaboração do Projeto Piloto, composta pelos médicos do CETOHI Dr. Alalla Mnayarj,  Dra.Queila Adriana Rodrigues Curvelo Muniz, e da Secretaria de Saude do Município, Dra. Yvone Maria de Barros Weber Pietro, sob a coordenação de Therezinha de Alencar Selem, Vice-Presidente da AACC/MS;
6. O Projeto foi encaminhado ao IRMD, em setembro de 2007 e aprovado dezembro do mesmo ano, dando-se início ao curso em abril de 2008;
7. Simultaneamente, o Projeto foi encaminhado, por Mirian Comparin Corrêa, Presidente da AACC/MS, também à  Energias do Brasil,   para efeitos de financiamento, sendo aprovado  pela ENERGEST, uma Sub-holding da Energias do Brasil - EDP;

  • EQUIPE

FACEBOOK

INSTAGRAM